O mundo das redes sociais foi invadido pelas Stories, elas originalmente surgiram no Snapchat como fotos ou vídeos de 10 segundos e desaparecem em 24 horas.

Hoje quando você vê uma confusão na internet tem que revirar as notícias das últimas horas, ou os posts mais antigos no twitter, até entender o que está acontecendo. No topo de todos os sites vemos os posts, notícias e mensagens mais recentes.

Já as Stories têm uma vantagem em relação as demais formas de contar histórias na internet, elas são exibidas em ordem cronológica. Você abre uma história e vê primeiro a mensagem mais antiga da pessoa, e assim por diante até chegar a última mensagem. Essa forma mais natural de se comunicar foi um dos fatores que fez do Snapchat um grande sucesso.

Outros 2 pontos importantes foram a efemeridade e os efeitos especiais. Ao invés de ser mais um aplicativo que acumula lixo digital as mensagens do Snapchat somem em 24 horas, e os efeitos especiais permitem adicionar acessórios, se fantasiar e se divertir de diversas maneiras sozinho ou com um amigo.

Como as Stories invadiram outros aplicativos?

O Snapchat nasceu em 2011 e chamou a atenção do Facebook quando começou a crescer, ao todo aconteceu uma tentativa de compra (US$ 3 bilhões em 2013) e 3 lançamentos de aplicativos com funções similares, o Poke (mensagens enviadas pelo aplicativo expiravam depois de um tempo), o Slingshot  (para compartilhar fotos e vídeos efêmeros) e o Flash (histórias que se destroem em 72 horas).

Sem conseguir comprar o Snapchat e sem conseguir emplacar outros aplicativos a empresa de Mark Zuckerberg comprou o MSQRD (aplicativo que coloca filtros no rosto, similares aos efeitos do Snapchat) e usou essa tecnologia para lançar o recurso de Stories nos aplicativos que já eram sucesso: Instagram, Whatsapp, Messenger e finalmente o próprio Facebook.